Nestes 80 anos do CREA-RS, lembramos o primeiro Eng. Frederico Westphalen


De origem alemã, Frederico Westphalen veio para o Rio Grande do Sul com seus pais, onde montaram um negocio na cidade de Palmeira, hoje Santo Augusto. Embora tenha nascido no estado do Paraná, ele passou boa parte de sua vida no interior gaúcho. Apenas veio a Porto Alegre para dar seguimento aos estudos, onde fez parte da primeira turma de  Engenharia-civil formada pela Escola de Engenharia de Porto Alegre, no ano de 1900. Após casar-se, retorna a Palmeira, onde continua sua atividade profissional na área de Agrimensura. Conhecido pelo interesse pela vida rural e seu engajamento político, Frederico dá início a sua participação ativa na política Regional ao ser nomeado Intendente Provisório da cidade pelo Presidente do Estado.

A convite do governador Borges de Medeiros, o engenheiro dá início à colonização do vale do Rio Uruguai e seus afluentes que culminou com a construção da Estrada entre Santa Bárbara e Cruzeiro do Sul, hoje correspondente ao município de Iraí. A obra, que teve seu início em 1918, levou mais de 10 anos para ficar pronta e é considerada a construção mais difícil do que a realização da Rodovia Transamazônica. Ainda na década de 20, o Engenheiro ajuda os doentes afetados pela epidemia da gripe espanhola. E como chefe da Comissão de Terras e vice-intendente da região, ele dispensa suas atividades ao desbravamento e colonização do sertão, em um trabalho de proteção e assistência à comunidade indígena.

Na época em que o movimento revolucionário ganha força em várias regiões do Estado, a cidade de Palmeira é cercada pelos revolucionários. Em decorrer disso, o intendente e o chefe político da cidade deixam seus cargos, o que obriga Frederico a assumir como chefe da Comuna. Em meio a conflitos e mortes, ele  organiza com a ajuda de Valzumiro Dutra, um corpo provisório de combate às forças revolucionárias. Sempre com um espírito de modo a manter a ordem da região, o então intendente e delegado de polícia tenta retomar as atividades da cidade abalada pela revolução. Com ânimos acalmados e com a situação política em ordem, Frederico dá continuidade à colonização, com o projeto de um novo balneário em Iraí, que dá vida a uma Vila, chamada de Barril, devido à instalação de um barril na fonte de água cristalina. O nome, apesar de ser original, permaneceu por pouco tempo até que as lideranças da Vila manifestaram o interesse em denominar o lugarejo de ?Vila Frederico Westphalen?, em homenagem ao colonizador. Então, em 15 de novembro de 1928, através de um decreto, surge o 13º Distrito de Frederico Westphalen, que anos depois se tornaria a conhecida cidade que leva o nome do Engenheiro.

Para o inspetor chefe de Frederico Westphalen, Eng. Civil Valdenir Cadore, é importante, nas festividades dos 80 anos do CREA-RS, lembrar a trajetória deste engenheiro que chegou a ser o nome de um município. "Como o primeiro profissional de Engenharia formado no RS em 1900, em um seleto grupo de apenas 9 formandos, foi um dos personagens que contribuíram não só para a profissão, mas para a formação de um núcleo de engenheiros que dariam origem ao Conselho de Engenharia e Agronomia no Estado, hoje completando oito décadas", destacou.

REDES SOCIAIS
  • Disque-Segurança

    0800 510 2563

  • suporte ART

    0800 510 2100

  • Ouvidoria

    0800 644 2100

  • Outros telefones
  • Atendimento Central

    51 3320 2100

Atendimento ao Público

Das 9h15 às 17h45

Não fechamos ao meio-dia.

Rua São Luís, 77 - Porto Alegre - RS

CEP: 90620-170

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul

by