A revolução tecnológica e a evolução da comunicação


Seminário institucional reuniu, em Brasília, os assessores de Comunicação do Sistema Confea/Crea e Mútua

Créditos: Arquivo Marck Castro/Confea

“O Futuro da Comunicação” – cada vez mais veloz e diversificada pela tecnologia". Este foi o tema da palestra que na manhã da quinta (07) abriu a programação do seminário institucional promovido pelo Confea e que reuniu, em Brasília, os assessores de Comunicação do Sistema Confea/Crea e Mútua.

Apresentado pelo publicitário Rafael Martins, empresário da área de comunicação contemporânea, o tema atraiu a atenção dos cerca de 70 participantes. Em pauta: a evolução da comunicação provocada pela revolução tecnológica, que exige o chamado "skil gaps", uma atualização constante, aprendizado praticamente diário.

Rafael Martins abordou a evolução da comunicação provocada pela revolução tecnológica, que exige o chamado “A tecnologia cresce exponencialmente, mas a gente pensa e aprende de forma linear e no meio disso os gaps de aprendizado se tornam cada vez mais necessários”, alertou o palestrante logo no início de sua apresentação.

Ao tratar de OnxOff, visão geral do mercado atual, conceitos e futuro, Rafael afirmou que a tecnologia mudou o dia a dia e mesmo o processo criativo dos publicitários e de todos os que lidam com comunicação. “As redes sociais mudaram uma realidade que prevalecia antes do seu surgimento. É por isso que cada vez mais se melhora a infraestrutura de acesso a internet, embora com todo esse esforço, 50% da população mundial não tenha acesso a ela”, informou.
 
Rafael reconhece que numa época em que o “consumidor virou cocriador de campanhas publicitárias, o protagonismo não é mais das marcas, mas das pessoas que influenciam, conferindo informações e denunciando as enganosas”. Com exemplos práticos e didáticos, o palestrante lembrou que comunicação implica “ouvir as pessoas com quem se quer comunicar”.

Boas-vindas

Mesa de abertura do SeminárioAo receber os comunicadores, Edson Delgado, eng. eletric., vice-presidente  e representando Joel Krüger, eng. civ. que preside o Confea, lembrou que o seminário é fruto do trabalho desenvolvido pelo Conselho de Comunicação e Marketing  em 2018. Para ele, o seminário acontece num momento em que as atenções se voltam para as consequências da tragédia de Brumadinho colocando a engenharia brasileira em foco, e que a “Comunicação é fundamental para o diálogo com a sociedade”. Delgado destacou a divulgação “precipitada de informações colocando muitos profissionais como se fossem culpados sem a devida apuração dos fatos". “Temos que ter prudência para garantir a manifestação de todos”, aconselhou, antes de reforçar a “importância de um trabalho que reflita unidade”.

Linguagem uniforme
Ana Adalgisa Paulino, eng civ., presidente do Crea-RN e membro do Conselho de Comunicação e Marketing do Confea (CCM), elogiou as campanhas que têm sido “colocadas em ônibus, em outdoors e rádio valorizando o profissional e aproximando o Sistema da sociedade”. Lembrando Chacrinha “quem não se comunica se trumbica”, Ana defendeu uma linguagem uniforme, proativa e fácil de ser entendida. “São muitos os sotaques do país, mas no Sistema o sotaque deve ser um só”.

Assessores da Região Sul

Ação de unidade
Para Giucélia Figueiredo, eng. agr. e diretora administrativa da Mútua, “os comunicadores são os protagonistas da Comunicação do Sistema. Ela parabenizou a comunicação do Confea que “tem dado um show de bola”, mostrando como a área é importante para o conhecimento da população. Ex-presidente do Crea-PB, Giucélia defendeu “uma política de comunicação sintonizada com o mundo real por meio de um conjunto de ações que dê visibilidade ao Sistema, enquanto protagonista do desenvolvimento sustentável nacional”.

Ao lançar um olhar para os profissionais registrados no Sistema, Giucélia afirmou que “são não só necessários, mas estratégicos para o crescimento do país.  Nosso Conselho tem que estar sintonizado com a pauta nacional num processo que chamo de Unidade de Ação Confea/Crea/Mútua”, finalizou.
 
Reconhecimento
Também integrante do CCM, o eng. agr. e  conselheiro federal João Bosco Lima Filho disse que o seminário era esperado “com ansiedade” por todo o Sistema: “O Colégio de Presidentes e o Confea estão preocupados e querem que o Sistema tenha uma só voz e pensamento e que seja conhecido por sua ação em defesa da sociedade em prol dos profissionais. Num momento como este em que a nação vive com a questão da barragem, o Sistema é demandado para opinar porque a sociedade confia, reconhece”. Para o conselheiro, “é importante a gente se reunir para pensar e agir juntos e ter uma palavra consoante com todos os que fazem a Comunicação”.

Falar como Sistema
Conselheiro e membro do CCM, além de chanceler da Comissão do Mérito, Zerisson de Oliveira Neto, eng. de prod. mec., disse que “a gente tem que começar a falar como Sistema e este seminário incrementa ações nesse sentido”.

“Comunicação é o caminho”
Por sua vez, Marco Aurélio Braga, presidente da  Federação Nacional de Engenharia Mecânica e Industrial (Fenemi), afirmou que “um dos nossos principais desafios é trazer a rapaziada, os futuros profissionais,  para o Sistema. A comunicação é o caminho para alcançar os jovens engenheiros recém-formados".

Apresentação do novo site do ConfeaAinda pela manhã, Beatriz Craveiro e Silvia Girardi, respectivamente, jornalista  e publicitária ligadas à Gerência de Comunicação (GCO), do Confea, comandada pelo jornalista Felipe Pasqualini, informaram sobre o processo de construção do novo site do Confea que, com novas ferramentas, deve estar disponível em meados do mês de março.
 
Plano de Comunicação

À tarde, o superintendente de Estratégia e Gestão, eng. agr. Alceu Molina, apresentou o Plano de Comunicação do Confea 2018/2020 (PL 1.331/2018) ressaltando que a “sociedade deve ser o objetivo-fim da comunicação do Conselho, assim como é importante também valorizar a atuação dos profissionais, nas ações de divulgação”, sempre levando em consideração os seguintes pilares: CF, art. 37, § 1º, que trata da publicidade dos atos e serviços de órgãos públicos; a Lei nº 5.194/66, art. 27, que lista as atribuições do Confea; o Regimento do Conselho; a Política de Comunicação e a Agenda Estratégica da instituição; além dos fundamentos do modelo de governança do Tribunal de Contas da União (TCU).

Patrocínio

Na sequência, a gerente de Planejamento e Gestão, arq. Prícila Fraga, detalhou os princípios e critérios de contrapartidas da Política de Concessão de Patrocínio (PL 1106/2018). “Essa iniciativa visa divulgação da marca, fortalecimento da imagem institucional e desenvolvimento do Sistema Confea/Crea, entre outros princípios”, explicou a coordenadora da iniciativa que, na oportunidade, aproveitou para compartilhar com os profissionais dos Creas o passo a passo de concessão de patrocínio que envolve inúmeras áreas do Conselho e, por isso, deve ser planejada.

Em 2018, o Confea disponibilizou R$ 3 milhões para projetos de eventos, exposição e publicações que envolvem temas inerentes às profissões do Sistema Confea/Crea. As ações acontecem até agosto de 2019. “De acordo com o edital, as iniciativas devem estimular o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico, assim como a troca de experiências e a interação entre profissionais, empresas, instituições cientificas e tecnológicas”, explicou Prícila.

Governança
A programação do primeiro dia foi concluída pela assessora da Superintendência de Estratégia e Gestão e especialista em Coaching, Rosangela Simonetti, que sensibilizou os comunicadores de que é essencial adotar a governança no Confea e nos Creas. “A governança é garantia de que o negócio da instituição esteja sendo priorizado por todos, refere-se a soluções para atingir resultados”, comentou ao explicar como o Tribunal de Contas da União define o conceito para a administração pública: "Governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança, estratégia e controle postos em prática para avaliar, direcionar e monitorar a atuação da gestão, com vistas à condução de políticas públicas e à prestação de serviços de interesse da sociedade." Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.

O papel da Comunicação na governança, segundo Rosangela, é desempenhado por meio de ações de comunicação pública, de modo a viabilizar relacionamento confiável entre a instituição e a sociedade. Nesse sentido, o relacionamento com as partes interessadas ganha importância na medida em que permite à empresa estabelecer e divulgar canais de comunicação com os interessados e assegurar sua efetividade, consideradas as características e possibilidades de acesso de cada público-alvo.

Redes e Prodesu
Diálogo entre a instituição e o público-alvo nas plataformas digitaisNo segundo dia, a palestra da empresa Clara Digital, responsável pelo trabalho de gestão, monitoramento e impulsionamento das redes sociais do Confea apresentou a palestra “Diálogo ente a instituição e o público-alvo nas plataformas digitais – Produção de conteúdo focado no público-alvo e interação/moderação nas plataformas”, na manhã desta sexta (8).

Com um debate bastante concorrido, os publicitários Tamyres Nonato, Robynson Veríssimo, Raphael Deether e Carolina Nonato discorreram sobre aspectos teóricos e práticos da atuação da empresa. Identidade visual, segmentação de público, mensuração, interação e dados sobre o incremento do acesso e engajamento do público no Facebook, Instagram, Twitter, Youtube e Soudcloud. “Essa comunicação não pode ser  muito formal, devemos usar linguagens adequadas para que as pessoas se interessem. Procuramos exaltar as datas comemorativas do Sistema, quando os profissionais se sentem valorizados. Também monitoramos as críticas, transformando essas dúvidas em conteúdo para todos os usuários”, informou Tamyres.

Redes sociais em pauta
Já no período da tarde, os comunicadores assistiram à palestra “Orientações para elaboração de plano de trabalho para o Programa de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Comunicação (Prodacom)”, ministrada pela gerente de Desenvolvimento Institucional do Confea, Polyana Zeller.

Polyana explicou que o programa tem como objetivo apoiar a produção e veiculação de campanhas institucionais, bem como a editoração de publicações técnicas de interesse do Sistema Confea/Crea e Mútua. “O objetivo específico é uniformizar as ações institucionais de comunicação no âmbito do Sistema. Melhorar a eficiência e a eficácia das ações de comunicação, marketing e de divulgação dos serviços e ações realizadas pelo Sistema, notadamente em relação à verificação e fiscalização do exercício e das atividades profissionais”, explicou. A gerente reforçou que não podem ter objetos coincidentes com outras ações de mesma natureza. “A partir de 2018, temos uma agência contratada, e as ações não podem coincidir, como uma campanha de âmbito nacional. Agora, fica para o âmbito local e temas específicos”, esclareceu. Confira a íntegra da palestra sobre Prodacom.

Mútua
Aos comunicadores foi apresentado o programa Divulga Mútua que permite aos Creas e às entidades de classe do Sistema fazerem divulgação institucional por meio de parceria com a Caixa de Assistência aos Profissionais do Crea, como explicou a gerente de Comunicação da instituição, jornalista Meg Vicente. “A iniciativa prevê, por exemplo, linhas de recursos para os Creas elaborarem campanhas de valorização da ART e de divulgação da Mútua para inspetorias e entidades, públicos considerados importantes por serem formadores de opinião e divulgadores da marca”, comentou. Meg ainda falou de duas linhas de recursos especificas para os Creas para campanhas de valorização da ART e para divulgação da Mútua para inspetores e entidades. “Disponibilizamos ainda para os Creas peças publicitárias para redes sociais nomeadas como “Divulga ART”. Confira outros benefícios da Mútua.


Experiências dos Creas
Apresentação do CREA-SCO gerente de Comunicação do Crea Alagoas, Vinicius Firmino, falou sobre a infraestrutura do Regional com a qual produzem diversos materiais para a comunicação, como o Minuto Crea-AL, transmissão das plenárias, matérias jornalísticas, “Crea-AL na rua”, live "Fale com o presidente", bate-papo com a engenharia (webnários). Confira aqui a apresentação completa.

Rafael Valentim, do Crea-AM, relatou a experiência do Regional em que investem em vídeos para atingir um número maior de pessoas. “ Divulgamos a fiscalização da festa de Paritins e por meio do Prodacom produzimos uma revista”, compartilhou o jornalista.

A gerente do Crea-SC, Claudia de Oliveira, explicou que a comunicação catarinense está completamente vinculada à missão do Crea. “Para esses anos um dos objetivos estratégicos é fortalecer a comunicação e o marketing em todo o estado”, informou.  Histórias de sucesso que demonstram porque SC é referência em empreendedorismo de Projeto SC: Projeto gestão de valor, com profissionais que deram certo; série de reportagens no Diário Catarinense sobre ideias inovadoras.  Veja a apresentação do Crea Catarinense.

Já o gerente de Comunicação da Bahia, Victor Lopes, explicou que os trabalhos do Regional são pautados por pesquisa de opinião pública qualitativa e quantitativa com cerca de 1300 pessoas.  “Com base nas pesquisas montamos nosso planejamento estratégico que sinalizou os anseios dos nossos profissionais”. Ele ainda falou de campanhas internas a fim de mobilizar conselheiros e entidades a fim de “vestir a camisa” do Crea. “A campanha teve muito sucesso demonstrando o resgate de autoestima do profissional”, disse.

Fonte: Maria Helena de Carvalho, Julianna Curado, Henrique Nunes e Fernanda Pimentel / Equipe de Comunicação do Confea / Fotos: Marck Castro/Confea
 

REDES SOCIAIS
  • Disque-Segurança

    0800 510 2563

  • suporte ART

    0800 510 2100

  • Ouvidoria

    0800 644 2100

  • Outros telefones
  • Atendimento Central

    51 3320 2100

Atendimento ao Público

Das 9h15 às 17h45

Não fechamos ao meio-dia.

Rua São Luís, 77 - Porto Alegre - RS

CEP: 90620-170

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul

by